segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Que tal uma pausa para o gnocchi do Zena Caffè?

Trata-se de um típico restaurante genovês, porém, instalado em São Paulo, no charmoso bairro dos Jardins. O clima do café-restaurante, típico de uma vila italiana, é contagiante. Fotos da região da Ligúria, onde Zena significa Genova, objetos de decoração e muito verde indicam o que será servido.
Em seus dois anos de atividade, o Zena Caffè conta com um cardápio diferenciado justamente por privilegiar a cozinha do Norte da Itália. Massas frescas e secas, deliciosos gnocchi, prato consagrado que atrai uma legião de fãs, além de opções de carne, frango, peixe e saladas completam o cardápio.
Outro diferencial da casa é o forno especial para o preparo de focaccia, que têm destaque no cardápio com opções de diversos sabores e texturas.
O versátil chef Carlos Bertolazzi, um dos sócios do Zena, conversou com a revista Comunità Italiana durante uma e outra solicitação que já agitava o restaurante em uma manhã de terça-feira.
— O Zena conseguiu se estabelecer no circuito gastronômico da cidade. Nestes dois anos de atividades temos conseguido atrair cada vez mais clientes. Nos finais de semana chegamos aos 300 couverts, durante a semana variamos entre 150 e 200 — revela o chef.
A tradição de uma boa gastronomia aliada a preços convidativos é também uma referência do restaurante. Um casal, por exemplo, gasta em média R$ 150 em um jantar. Os preços dos pratos variam entre R$ 21,50 (saladas) a R$ 41,50 para um prato de salmone alle erbe (salmão grelhado, ervas picadas, semente de mostarda, raspas de limão e pimenta rosa).
Entre os destaques da casa está o vinho que leva o nome do estabelecimento, o Zena Rosso (R$ 54, 00), que vem de produtores da Toscana e foi lançado para comemorar os dois anos do restaurante.
— A proposta é de trazer novos conceitos da cozinha para o restaurante — conta Bertolazzi.
Ele foi buscar inspiração no Piemonte, onde estudou, para colocar em prática a sua trajetória de chef de cozinha. Literalmente abandonou a gravata e o escritório e partiu para a Europa para fazer estágios em restaurantes na Itália e, depois, com o chef espanhol Ferrán Adriá. Além de passar por alguns dos melhores restaurantes do mundo, o chef comanda também, há oito anos, o C.U.C.I.N.A Gastronomia, ao lado de sua mãe, Vera.
O Zena conquista na primeira visita. O ambiente descontraído e agradável propõe sentar a qualquer hora do dia em uma das mesas da casa, seja para um café ou para uma refeição completa da culinária mediterrânea. Segundo o chef, o cardápio do Zena é tipicamente lígure e busca representar a identidade da gastronomia daquela região aos apreciadores da boa refeição.
— Tornamo-nos uma referência aos italianos da Ligúria que vivem em São Paulo —ressalta.
Outros destaques do Zena ficam para a hora da sobremesa. A Focaccia de Nutella é a grande pedida, porém, a levíssima Panna Cotta e a Sacripantina, também disputam a preferência dos clientes.
— A Sacripantina é parecida com o Tiramissu, só que leva massa de pão de ló. Os fregueses pedem muito também.
No cardápio constam ainda a meringata al limone (sorvete de limão, mini-suspiros e marshmallow), spumone di cioccolato al rosmarino (mousse de chocolate perfumado com alecrim), a macedonia di frutta alle spezie (salada de frutas da estação e calda de especiarias com sorvete de zambaione) e os gelati.
Entre as bebidas, destaque para os cerca de 80 rótulos de vinhos e cervejas especiais servidas em taças de vinho.
Esta matéria é uma reprodução do que foi publicado na Revista Comunità Italiana.
Postar um comentário